Casas a venda em são gonçalo pela caixa econômica

Dicas do Rio

Conhecendo melhor a Cidade Maravilhosa

04 Maio 2017 Publicado em Copacabana

Um passeio por Copacabana (Rio de Janeiro)

Avalie este item
(0 votos)

Hoje resolvi publicar um artigo que venho trabalhando há meses...Depois de muito pesquisar, caminhar pela região e tirar muitas fotografias, eis meu artigo sobre um bairro carioca muito especial: Copacabana!!! Não tenho a menor dúvida de que se trata de um lugar histórico e muito legal para visitar. Há quem ame Copacabana, como também há quem odeie, mas uma coisa ninguém pode negar: Copacabana é o retrato do Rio de Janeiro. No artigo de hoje, vamos fazer um passeio pelo bairro descobrindo o que Copa tem de melhor. Vamos lá? Então vem comigo...

Se você é turista com certeza já ouviu falar de Copacabana e está no seu plano passear nessa área para conhecer a praia, o calçadão e quem sabe assistir a queima de fogos no reveillon. Tudo isso é bacana, mas a minha sugestão é não se limitar apenas a isso, pois Copacabana é muito mais, faz parte da nossa história. Conhecendo um pouco mais dela tenho certeza que uma simples caminhada pelas ruas pode ser um passeio incrível. Essa é a proposta desse artigo. Para isso separei alguns pontos interessantes no bairro para explorá-los e fazer uma viagem no tempo.

1) Praça Cardeal Arco Verde

É a praça onde fica a estação de metrô Arco Verde. É a primeira praça do bairro. Até o século XIX, Copacabana era um lugar afastado, basicamente ocupado por pescadores, pois ficava longe do centro, separado por uma grande barreira (o morro onde se encontra o túnel velho). Com a reforma da cidade no início do século XX, muitas intervenções foram feitas, principalmente na região central da cidade. Contudo, a reforma avançou um pouco mais para construção das linhas do bonde, o túnel velho foi construído junto com a praça Cardeal Arco Verde. Seu nome foi dado em homenagem ao primeiro arcebispo do Rio de Janeiro e primeiro cardeal sul americano.

Estação Cardeal Arco Verde

Praça Cardeal Arco Verde

Muito rapidamente o Rio de Janeiro se transformava. O centro da cidade era o local de concentração da população, marcado pelas epidemias e doenças. Além das doenças físicas, havia também a doença moral, justificada pelo positivismo e o darwinismo social, ideais que estavam na moda na Europa. Essas teorias pregavam que determinadas classes sociais eram degeneradas naturalmente e afastar-se delas era uma forma de se não se contaminar. Assim, para fugir das doenças físicas e morais, parte da população classe média migrava para o subúrbio e os mais abastados para bairros como Santa Teresa, Glória e Catete. Entretanto um bairro novo próximo ao mar surgia e seus primeiros lotes de terrenos eram vendidos. O primeiro boom imobiliário acontecia: COPACABANA - o bairro dos sonhos, longe da pobreza e perto do mar (outra ideia vinda da Europa, de que os ares marítimos faziam bem à saúde). E nesse contexto surge Copacabana. 

 RIO ANTIGO COPACABANA 1

Copacabana em 1910 (Foto: Malta)

DICA DA CARIOCA: Próximo a praça temos um lugar muito agradável e pouco conhecido para visitar - o Parque da Chacrinha. É um lugar muito bacana e gostoso para passear, principalmente para quem tem crianças. A função do parque é conservar uma das últimas áreas de mata de Copacabana já que o bairro atingiu um nível muito alto de densidade populacional. Chegando lá você pode notar a diferença de clima, nem parece que você está no meio de um centro urbano. Vale muito a pena esse passeio. 

Parque da Chacrinha 3

Parque da Chacrinha -  muito verde e ar puro

Parque da Chacrinha 1

Parque da Chacrinha - Muitas árvores e infra-estrutura para crianças

Parque da Chacrinha 2

Parque da Chacrinha - Local para pic-nic

A entrada é gratuita e para chegar lá basta você descer na estação de metrô Arco Verde (saída A) e caminhar em direção a rua Toneleiros. Você vai ver uma cancela próxima ao posto BR, entrar nela e seguir em frente. Logo você verá a entrada do parque.

Arco Verde 1

Seguir na direção do Posto BR (tem uma cancela ao lado)

Parque da Chacrinha entrada

Portão de entrada

2) Praça Serzedelo Correa

Na altura da Rua Siqueira Campos, temos a praça Serzedelo Correa. É um local bem feio, mal conservado infelizmente, mas possui um valor histórico. Conforme já mencionado, a ocupação efetiva de Copacabana aconteceu com a chegada dos bondes. Essa praça era o local de abastecimento do bonde, de parada, onde os passageiros saltavam e dali seguiam a pé para as demais localidade. A Companhia Ferro Carril do Jardim Botânico levava o bonde do centro à Copacabana, que originalmente era um lotação puxado por cavalos. Os donos da empresa eram os mesmos donos da construtora que fazia as casas, ou seja, o bonde chegou junto com a propaganda do bairro perfeito, atraindo as pessoas para a ocupação local. Na década de 20, com a introdução do bonde elétrico houve a expansão do bairro para outras regiões e a elite migra para Ipanema e Leblon, gerando uma desvalorização de Copacabana que ficou um bairro popular a partir da década de 40, quando ela começou a se verticalizar(construção de prédios). A Praça Serzedelo ficou conhecida como a Praça dos Paraíbas, em virtude da mão de obra nordestina que vinha trabalhar em Copacabana e começou a ocupar áreas que ficaram marginalizadas no bairro, como os arredores da praça, a Ladeira dos Tabajaras, Morro da Babilônia, etc. Aí podemos notar nitidamente uma segregação de áreas dentro de Copacabana, uma população próxima porém afastada por barreiras sociais, uma Copacabana popular e uma Copacabana do luxo marcada pelos belos prédios e hotéis da Avenida Atlantica.  

Praça Serzedelo Correa Copy

Praça Serzedelo Correa

DICA DA CARIOCA: se você gosta de comprinhas dê um pulinho na Rua Santa Clara 33. É um shopping vertical com algumas lojinhas. Ótimo para comprar biquini.

Santa Clara 33 Copy

Shopping Vertical (Santa Clara 33)

3) Calçadão de Copacabana

Não é à toa a fama desse calçadão...além de ser muito bonito, um lugar muito agradável de passear e fazer exercícios, possui um peso histórico para a cidade. Logo que Copacabana foi ocupada havia a ideia de que os ares marítimos faziam bem à saúde. Contudo a prática do banho de mar só foi difundida alguns anos depois na década de 30. Antes o barato era o passeio na orla e o pique-nique na areia (isso mesmo...farofada era chique!). A descoberta dos benefícios do banho de mar para saúde gera anúncios nos bondes, convidando as pessoas para um mergulho, pois o banho de mar rejuvenesse, cura doenças de pele e até melhora o desempenho sexual. Havia uma leiteria localizada na Rua Santa Clara (onde tem hoje uma agência do Bradesco) que vendia seus produtos através de propaganda vinculada ao banho de mar: "acorde cedo, dê um mergulho no mar e no final tome um copo de leite da leiteria e você terá a saúde de um touro."Fantástico, né, rsrs. Alguns anos mais tarde, com a vinda do rei da Belgica e seu famoso mergulho no mar surge uma nova prática: o banho de mar por lazer. E isso trouxe a Copacabana uma nova perspectiva. O bairro vira moda, balneário, um marco no estilo de vida carioca. Na década de 50, Copacabana já adquiria sua fama de princesinha do mar, onde a boa era pegar uma praia durante o dia e à noite cair na boemia.  

Calcadao de Copacabana

O famoso Calçadão

DICA DA CARIOCA: para quem está passeando no calçadão nada melhor que um quiosque para beber alguma coisa e bater papo não é mesmo? A minha dica é ir para a ponta da praia, no Leme. Lá você terá uma vista da praia. Vale a pena conferir.

Pedra do Leme Copy

Pedra do Leme

Ano passado fiz um artigo específico sobre o Calçadão de Copacabana que vale a pena dar uma olhada. Para ler é só clicar no link abaixo.

Copacabana - Um calçadão que é a cara do Rio

4) Beco das Garrafas

E por falar em boemia...como não mencionar o Beco das Garrafas que fica em uma travessa sem saída da Rua Duvivier, entre os edifícios 21 e 37. Nele, nas décadas de 50/60, abrigava originalmente quatro bares onde alguns artistas se apresentavam. Local de boemia, onde surgiram alguns nomes da música brasileira como Elis Regina, Wilson Simonal, Jorge Bem Jor e muitos outros, inclusive foi ali que ritmos como a Bossa Nova começaram a ganhar força. Possui esse nome pois enquanto o pessoal ficava no beco cantarolando, os moradores dos prédios, incomodados com o barulho, jogavam garrafas pela janela. Era tudo muito simples e informal, o pessoal se reunia nos bares, cantavam, tocavam livremente, os artistas não recebiam dinheiro, apenas ganhavam a consumação, não havia ingresso nem cover artístico. Era uma forma de um artista desconhecido se tornar conhecido. Com a ditadura militar o local foi ficando abandonado e ligado à prostituição. Hoje o local está sendo revitalizado, afinal trata-se de uma parte da história da música brasileira. Vale a pena dar uma passadinha e tirar uma selfie.

Beco das Garrafas

DICA DA CARIOCA: Na esquina do Beco das Garrafas tem uma lojinha chamada Bossa Nova & Companhia que é uma livraria especializada em artigos musicais. Ao entrar nessa loja ao som de Bossa Nova, Chorinho e Samba fiquei encantada com a atmosfera carioca do local e para quem curte música é uma boa dica pois a loja possui DVDs, CDs, discos de vinil, posters, livros de música, biografias, partituras entre outras coisas que remetem ao passado histórico musical brasileiro. Muito bacana! 

Loja de discos Copy


6) Copacabana Palace

Ao passear pelo calçadão é impossível não notar tamanha beleza arquitetônica. O Hotel Copacabana Palace virou praticamente um ponto turístico do bairro. Foi construído na década de 20 pelo empresário Octavio Guinle e Francisco Castro Silva atendendo uma solicitação do presidente Epitácio Pessoa, afinal o contexto histórico da época demandava a existência de um grande hotel de luxo na capital do país para receber hóspedes ilustres. A necessidade de um bom relacionamento do Brasil com outros países, levou ao país estimular diversos eventos que envolviam celebridades internacionais, como por exemplo, a exposição do Centenário da Independência do Brasil. Assim foi feito um acordo para construção desse belíssimo hotel em troca de incentivos fiscais, sendo o primeiro edifício do bairro a ser construído, cercado por pequenas casas e mansões em plena Avenida Atlantica que tinha acabado de ser alargada. Você pode imaginar a magnitude do projeto que foi inspirado pela arquitetura francesa em Art Deco que mantém a fachada até hoje preservada. Belíssimo!!!

Copacabana Palace 2

Hotel Copacabana Palace

O Copacabana Palace é um dos hotéis mais conhecidos do Brasil, símbolo de sofisticação e requinte, famoso por abrigar celebridades e autoridades mundiais no decorrer dos tempos. Além disso virou local de referência, inclusive foi nele que muitos compositores se inspiraram para escrever suas canções como a música Copacabana composta por Dorival Caymmi e até um tango argentino composto por Julio de Caro. Durante muitos anos o hotel foi o símbolo de tudo o que há de mais luxuoso em termos de hotelaria no Brasil e até hoje ainda continua com essa fama, mesmo depois da construção de outros hotéis chiques e modernos a partir da década de 70 que levou um pouco a sua decadência. Em 1985 foi tombado pelo patrimonio histórico e logo depois vendido para rede Oriente Express que modernizou suas instalações sem perder o glamour original. 

DICA DA CARIOCA: hospedar-se no hotel não é para qualquer um...tem que ter grana...mas se você quiser conhecer o hotel e desfrutar desse luxo que virou um ponto turístico, você pode fazer uma refeição em um dos restaurantes desse hotel. O Pérgula fica na beira da piscina e possui um preço que pode surpreender. Acho que vale a pena para o turista e até mesmo para o carioca em uma ocasião especial.

piscina Copacabana Palace

Olha eu aí na melhor piscina do mundo!!!

7) Avenida Nossa Senhora de Copacabana

Uma enorme avenida com muito comércio que pode passar desapersebida pelo turista. Mas não por você, caro leitor, pois depois de ler o próximo parágrafo terá uma nova visão sobre essa rua. Ela possui uma quantidade absurda de grandes prédios com construções antigas da década de 40/50. Apartamentos com janelas enormes, pé direito alto e muitos andares. Era Copacabana se verticalizando e crescendo sua população. O comércio desenvolvia cada vez mais para comportar tamanho desenvolvimento. O cinema chegava com toda força no Brasil e salas como Roxy lotavam. Era uma febre. É muito legal andar por essa rua e lembrar das antigas lojas que existiam no decorrer dos tempos e não existem mais. 

NS Copacabana Copy

DICA DA CARIOCA: andando pelas galerias de Copacabana, descobri um lugar muito bacana para os amantes da sétima arte: o Cine Joia. Localizado no subsolo da Galeria 680 da N.S.Copacabana, exibe filmes nacionais e internacionais, clássicos, independentes e alternativos ao circuito comercial das grandes salas de cinema. Vale a pena conhecer.

cine joia Copy

8) Forte de Copacabana

 No século passado, quando o Rio de Janeiro era capital do Brasil, a Baía de Guanabara era um ponto estratégico e para defender tantas riqueza em 1908 foi construído o Forte de Copacabana. O local escolhido para o forte foi a ponta da igrejinha de Nossa Senhora de Copacabana que como reza a lenda foi erguida para o pagamento de uma promessa de um viajante colombiano que quase naufragou naquelas águas. O Forte já foi palco para diversos acontecimentos históricos do país e para contar um pouco mais sobre esses momentos, em 1986 foi criado o Museu Histórico do Exército e sua exposição permanente mostra essa história sob o ponto de vista militar. Há um espcaço para exposições temporárias e no local também funciona um laboratório onde são desenvolvidos um trabalho de preservação de obras e peças históricas. O valor do ingresso é bem baratinho (R$ 6,00 a inteira) e funciona de terça a domingo. Vale a pena visitar. 

Forte de Copacabana

DICA DA CARIOCA: Dentro do Forte tem o Café 18 do Forte e uma unidade da Confeitaria Colombo, um convite para um agradável café da manhã ou chá da tarde. Um programão!!! Segurança e uma vista de tirar o fôlego de qualquer turista e até mesmo dos cariocas. 

 Colombo Forte Copacabana

Tomar um café com essa paisagem...isso você só encontra aqui!

E aí gostaram do nosso passeio? Pois bem, assim como Copacabana pode se tornar um passeio incrivelmente surpreendente, existem muitos outros lugares da cidade maravilhosa que merecem ser explorados com uma outra ótica. Basta pesquisar um pouquinho mais e perceber o quanto podemos aprender com nossa história e nossa cultura. Eu adoro Copacabana justamente por isso. É o retrato do Rio e de um pouquinho da nossa história. Se você curte também esse tipo de passeio, deixe seu comentário aqui em baixo. Aproveita e compartilha também esse artigo nas redes sociais. Além de ajudar a divulgar meu trabalho, também contribui para o estímulo ao turismo cultural que merece ser valorizado.

E não pára por aí não... no próximo post ainda tem mais Copacabana...aguarde!

Beijos, Vanessita.

 

Lido 396 vezes

Nossas Redes Sociais

Assine nossa Newsletter

Quer receber nossa newsletter e participar de promoções? Digite seu e-mail abaixo. Fique tranquilo(a), não enviaremos SPAMs.

obrigado